Tuesday, March 13, 2007

Playing truant.

Sim. É mesmo possível dormir assim tão mal. No entanto, não é o equivalente a não dormir. É simplesmente uma grande maçada. A Bela Adormecida não tinha insónias. O resultado é a tendência para desculpar a irresponsabilidade através do argumento do cansaço. É como usar linguagem formal para escapar à - evidente - vontade de balbuciar incoerências. I have the attention-span of a two-year-old. Recently. Suponho que seja motivo suficiente para sorrir. Assustam-me os fenómenos psicosomáticos. Ansiedade causa enjoo. Não gosto do formato que a minha escrita tem assumido ultimamente. A repressão é escandalosamente óbvia. Fechar os olhos e respirar fundo é admitir que está tudo bem e que não existem fracassos nas imediações. O mudar de assunto é proporcional à velocidade constante a que fogem as fantasias de uma realidade hipotéticamente devastadora. Who the hell knows what i'm talking about? Se pudesse tê-lo à minha maneira.. Levas-me a mal se contar histórias de sapos e fadas e príncipes encantados em florestas mágicas? Não quero mais que sentir, mais vezes. A insegurança oscila entre um zumbido imperceptível e a sirene de uma ambulância com pressa de salvamento. Há muito que deixei de querer ser salva. Passei, por uns tempos, a querer ser vista. O conflito maior está em querer e não querer ser descoberta. Classifico tudo o que me envolve de importante. Perder é o sacrifício acrescido de quem - ao prioritizar tudo - não priorotiza coisa alguma, a especificidade é de urgência extrema. Todos os momentos são decisivos. Todas as situações contêm algum pormenor analisável até ao seu elemento mais simples. Fragmentarização absoluta. E tudo porque me apercebi de que é possível querer coisas compativeís em simultâneo, o truque está na sua gestão. A esperança não é tanto um «cliché» como a fé que se deposita nela.

0 Comments:

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home